By Elaine Averbuch Neves

Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania. Depende de quando e como você me vê passar.

– Clarice Lispector -

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Paz... Para todos....

02/11 – Dia de Finados
O Dia de Finados é o dia de celebrar e recordar, com carinho e saudade, das pessoas queridas que já faleceram. É o Dia do Amor, porque amar é sentir que o outro não morrerá nunca, estará sempre vivo em nossas lembranças e em nosso coração.
O dia de Finados só começou a existir a partir do ano 998 dC. Foi introduzido por Santo Odilon, ou Odílio, abade do mosteiro beneditino de Cluny na França. Ele determinou que os monges rezassem por todos os mortos, conhecidos e desconhecidos, religiosos ou leigos, de todos os lugares e de todos os tempos.
 Quatro séculos depois, o Papa, em Roma, na Itália, adotou o dia 2 de novembro como o dia de Finados, ou dia dos mortos, para a Igreja Católica.
O costume de rezar pelos mortos nesse dia foi trazido para o Brasil pelos portugueses. As igrejas e os cemitérios são visitados, os túmulos são decorados com flores, e milhares de velas são acesas.
 No México, o dia dos mortos é uma celebração de origem indígena, que honra os defuntos no dia 2 de novembro. Começa no dia 1º de novembro e coincide com as tradições católicas do dia dos fiéis defuntos.
É uma das festas mexicanas mais animadas pois, segundo dizem, os mortos vêm visitar seus parentes. Ela é celebrada com comida, bolos, festa, música e doces, os preferidos das crianças são as caveirinhas de açúcar.
Por isso, o Dia de Finados hoje em dia em nosso país, ainda é um dia de vibrações muito negativas, pois a maioria Cristã em nosso país e em boa parte do mundo é católica e evangélica, mantendo, na sua grande maioria, pesares em suas preces com evocações saudosistas e egoístas pelos que já "partiram", querendo que de alguma forma retornem ou dêem algum "sinal de vida", não entendendo muitas vezes "porque foram abandonadas" e coisas do tipo, que só fazem sofrer os espíritos que já desencarnaram, especialmente àqueles que ainda se mantêm presos por laços pouco evoluídos aqui junto aos encarnados, muitas vezes ainda até ligados ao corpo que já praticamente não existe mais.
Assim, como espiritualistas, façamos preces, mantendo uma boa vibração por aqueles que desencarnaram e sofrem com a dor daqueles que os pedem de volta, pelos desencarnados que não se aperceberam dessa nova situação ainda e, pelos encarnados que também sentem a falta daqueles que já estão no plano espiritual.
Fontes:
 
Lembrem-se, as mudanças acontecem “De dentro pra fora!”







Nenhum comentário: