By Elaine Averbuch Neves

Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania. Depende de quando e como você me vê passar.

– Clarice Lispector -

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Ôi amigos(as) do Blog!! O sol voltou!!!! Hoje temos três datas comemorativas!!! A 1ª delas é...

Dia da Infância

 

Tem dias que todo mundo quer ser criança. Brincar, pular, correr, se divertir sem ter hora para acabar, sem se preocupar com o amanhã, afinal o que importa é ser feliz. Mas ser criança também é ter direitos e deveres, é poder desfrutar de uma infância saudável, um lar, uma família, uma educação de qualidade e ainda poder sonhar com um futuro melhor. Hoje, em países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento a população infanto-juvenil pode chegar a quase metade da população total. Fato que merece a atenção da sociedade, dada a grandeza dos números. Dia 21/08 foi oficializado como o Dia da Infância. Quando pensamos no Brasil especificamente, essa data tem sua importância consideravelmente aumentada. Basta lembrarmos que, em 2001, mais de cinco milhões de crianças entre 5 e 17 anos trabalhavam. A primeira fase de vida é fundamental para o desenvolvimento e tem um impacto importante na situação social, psicológica e econômica da criança.Durante a infância, a criança precisa ser estimulada brincando, cantando e falando, além de receber atendimento em saúde, educação e apoio afetivo da sua família e de serviços públicos competentes. Salve a infância e, sobretudo a criança  brasileira!!! "A infância é o tempo de maior criatividade na vida de um ser humano."(Jean Piaget)
Dia Dos Artistas

Hoje, 24 de Agosto,  é  o  Dia dos Artistas e eu quero abraçar, com admiração e respeito, todos aqueles que se dedicam, com talento e inspiração, a alguma espécie de arte. Quero saudar todos os artistas, desde aquele humilde artesão que, com o seu canivete, esculpe na madeira as imagens mais toscas, até o escultor culto e acadêmico, de cujo cinzel erudito saem as obras que as gerações admiram. Quero saudar o pintor emérito que a todos encanta com as suas telas de magistral beleza e o singelo pintor de paredes que também é um artista, e do qual muito se exige em dedicação e esmero. Quero saudar os autores de obras musicais de rara beleza, que escrevem melodias imortais no pentagrama onde as notas bailam suavemente, levando-os à consagração mundial... e quero saudar também os compositores de páginas musicais populares, das toadas aos fandangos, dos baiões aos cateretês, das modas de viola aos sambas que mexem com a gente. Quero saudar os atores teatrais que, na ribalta iluminada, provocam emoções e arrancam aplausos, levando o público às lágrimas e às gargalhadas, fazendo do palco a sua vida e a sua realização artística.
A todos os que cantam, os que bailam, os que escrevem, os que interpretam, os que dirigem os espetáculos, os que fazem os cenários, os trajes adequados, a iluminação que tantos efeitos produz, a todos eu abraço com respeito e admiração.
Quero saudar, com muito afeto, os escritores e os poetas, talento explodindo em forma de prosa e verso. Quero abraçar, com muito carinho, os artistas circenses. Esses abnegados que, sob a lona cara e resistente dos grandes circos ou sob a remendada e frágil cobertura dos circos mais pobres, extravasam a sua arte popular, muitas vezes em troca apenas do aplauso de uma platéia sempre exigente, essa platéia que facilmente desce da ovação que consagra à vaia que constrange e aniquila.  E no DIA DOS ARTISTAS eu quero abraçar, com muito afeto, o brasileiro comum, artista de todas as horas que se equilibra na corda bamba das dificuldades, plantando bananeiras e fazendo cambalhotas, rindo e chorando, sempre exposto ao perigo nesse trapézio da vida em que nem mesmo aplausos conquista. Todo brasileiro é um artista, um malabarista, um equilibrista que consegue superar obstáculos e vencer dificuldades, um perito na arte de sobreviver.  Sim, também saúdo o artista operário, o artista lavrador, o artista bancário, funcionário público, comerciário, industriário, e por aí afora. Porque todos só conseguem continuar vivos com muito engenho e arte, resistindo à camisa-de-força de um orçamento familiar difícil de administrar.  Vamos festejar, todos juntos sim, o Dia dos Artistas.
(Do livro "Nosso Encontro", coletânea de crônicas radiofônicas de Ubiratan Lustosa).
Dia De São Bartolomeu
São Bartolomeu (o Viajante), é o Santo Padroeiro da Charneca, uma freguesia portuguesa do conselho de Lisboa, com 1,70 km² de área e 10 509 habitantes (2001). Densidade: 6 167,3 hab/km². É por vezes também referida como Charneca do Lumiar. A paróquia foi instituída em 1585. Pertenceu ao conselho dos Olivais entre 1852 e 1886. Esta freguesia é confinante de uma das pistas do Aeroporto de Lisboa.  São Bartolomeu também foi um dos doze apóstolos de Jesus Cristo. O dia de São Bartolomeu é celebrado no dia 24 de Agosto. O massacre da noite de São Bartolomeu foi um episódio sangrento na repressão dos protestantes em França pelos reis franceses, católicos. As matanças, organizadas pela casa real francesa, começaram a 24 de Agosto de 1572 e duraram vários meses, inicialmente em Paris e depois em outras cidades francesas, vitimando entre 70.000 e 100.000 protestantes franceses (chamados huguenotes).
Este massacre veio dois anos depois do tratado de paz de Saint-Germain, pelo qual Catarina de Médici tinha oferecido tréguas aos protestantes.
Em 1572, quatro incidentes inter-relacionados têm lugar após o casamento real de Marguerite de Valois, (a irmã do rei da França) com Henri de Navarre, uma aliança que supostamente deveria acalmar as hostilidades entre protestantes e católicos e fortalecer as aspirações de Henri ao trono. A 22 de Agosto, um agente de Catarina de Médici (a mãe do rei da França de então, Carlos IX de França, o qual tinha apenas 22 anos e não detinha verdadeiramente o controle), um católico chamado Maurevert, tentou assassinar o almirante Gaspard de Coligny, líder huguenote de Paris, o que enfureceu os protestantes, apesar de ele ter ficado apenas ferido.
Nas primeiras horas da madrugada de 24 de Agosto, o dia de São Bartolomeu, dezenas de líderes huguenotes foram assassinados em Paris, numa série coordenada de ataques planejados pela família real.
Este fora o sinal inicial para um massacre mais vasto. Começando em 24 de Agosto e durando até Outubro, houve uma onda organizada de assassínios de huguenotes em cidades como Toulouse, Bordéus, Lyon, Bourges, Rouen, e Orléans.
Relatos da altura dão conta de cadáveres nos rios durante meses, de modo que ninguém comia peixe. O Papa Gregório XIII ficou muito feliz com a notícia deste massacre: os sinos de Roma ressoaram para um dia de graças, foi cunhada uma medalha comemorativa em honra da ocasião e o papa encarregou o artista Giorgio Vasari da pintura de um mural celebrando o massacre.


Lembrem-se, as mudanças acontecem “De dentro pra fora”!


Nenhum comentário: