By Elaine Averbuch Neves

Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania. Depende de quando e como você me vê passar.

– Clarice Lispector -

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Saudações Amarelas!!!!



22/09 – Dia da Banana
Pasmem: a fruta, imortalizada por Carmem Miranda num enfeite de cabeça pra lá de esquisito, tem um dia só para ela. 
A banana chegou ao nosso conhecimento trazida pelos árabes nas suas embarcações como uma fruta muito valiosa. Na verdade ela é originária das regiões tropicais da Índia e da Malaia, o sudeste do continente asiático,  e já era conhecida e cultivada há mais de 4000 anos.

As bananeiras existem no Brasil desde antes do seu descobrimento. Quando Cabral aqui chegou, encontrou os indígenas comendo, in natura, bananas de um cultivar muito digestivo que se supõe tratar-se do ‘Branca’ e outro, rico em amido, que precisava ser cozido antes do consumo, chamado de ‘Pacoba’, que deve ser o cultivar Pacova. A palavra pacoba, em guarani, significa banana. Com o decorrer do tempo, verificou-se que o ‘Branca’ predominava na região litorânea e o ‘Pacova’, na Amazônica.
Esta fruta tropical possui uma polpa macia, saborosa e doce. Elas formam-se em cachos na árvore chamada bananeira. Existem diversas espécies de bananas. No Brasil, as mais conhecidas são: nanica, prata, banana-terra e a banana maça. Elas nascem verdes e quando estão maduras ficam com as cascas amarelas (maioria das espécies) ou vermelhas (minoria). Cada bananeira produz de uma só vez de 5 a 15 pencas de banana. São muito utilizadas na culinária de centenas de países. São consumidas ao natural, fritas, cozidas e assadas. Uma banana madura e de porte grande (nanica, por exemplo) pesa, em média, 120 gramas. A banana é uma fruta rica em fibras, potássio, vitaminas C e A. A banana não possui sementes, ela é um fruto sem fecundação prévia. Aproximadamente, 70% deste fruto é composto por água. A banana nanica, mais consumida no Brasil, é muito utilizada em bolos, doces e outros pratos da culinária brasileira.
O nome banana vem da palavra "banan", e também foi dado pelos Árabes. Banana significa "dedos". Faz sentido, já que a forma da fruta realmente alude a essa parte do corpo. Além de saborosa, apresenta alto valor nutritivo, por ser rica em carboidratos.
 Aqueles que pensam que a popular banana é uma fruta de segunda categoria podem se surpreender com a dimensão que ela está tomando no Brasil e no mundo. Só no ano passado, a produção, presente em 80 países, alcançou 70,76 milhões de toneladas. A Índia se destaca no primeiro lugar no ranking mundial de produtores, com cerca de 16 milhões de toneladas. O Brasil é o segundo colocado. Em 2007, os produtores brasileiros colheram 7,1 milhões de toneladas de bananas, 10% do total mundial. E a grande maioria foi consumida no mercado interno.

A banana é uma fruta flexível. Ao mesmo tempo que pode ser consumida “in natura” também pode ser transformada em cachaça, doces, licores, geléias e até vinagres. A bananeira também pode ter um status diferenciado. De acordo com a espécie se transforma até em planta ornamental.
Depois de ler isto, nunca mais irá olhar uma banana da mesma maneira.
A banana contém três açúcares naturais: sacarose, frutose e glicose que, combinados com fibras te dão uma reserva instantânea de energia. Pesquisas provam que somente 2 bananas nos dão energia para 90 minutos de trabalho pesado. Não admira a banana ser o fruto mais consumido entre os atletas! Mas energia não é o único benefício que a banana nos traz, ela nos ajuda a prevenir um substancial número de doenças.
Depressão - De acordo com recentes estudos, a maioria das pessoas que habitualmente sofrem com depressões sentiram-se substancialmente melhor depois de comerem uma banana. Isto acontece porque a banana contém um tipo de proteína que o corpo transforma em serotonina, substância que ajuda a relaxar e faz sentir melhor.
Anemia - Fortes em ferro, as bananas estimulam a produção de hemoglobinas e ajudam em caso de anemia.
Pressão Arterial - Este fruto tropical é muito rico em potássio e pobre em sal sendo perfeito para baixar a pressão arterial. A Food and Drug Administration, nos Estados Unidos, até permitiu aos produtores de bananas usarem isso como publicidade.
Capacidade Mental - 200 estudantes comeram uma banana no café, no almoço e no lanche e provou-se que o potássio presente no fruto ajudou-os a melhorar a sua concentração.
Constirpação - Ricas em fibras, a inclusão de bananas nas dietas ajuda a normalizar o trânsito intestinal, permitindo evacuação normal sem o uso de laxantes.
Dor de cabeça - Uma das maneiras mais rápidas de curar uma dor de cabeça é fazer uma batida de banana com mel. A banana acalma o estômago e o mel aumenta os níveis de açúcar no sangue enquanto o leite acalma e hidrata todo o sistema.
Fadiga Matinal - Comer uma banana entre as refeições ajuda a manter os níveis de açúcar no sangue elevados, combatendo o cansaço.
Picada de insetos – Quando picado por um insecto, experimente esfregar a área afetada com a parte de dentro de uma casca de banana. A irritação vai acalmar.
Sistema Nervoso - Bananas são ricas em vitamina B, que acalmam o sistema nervoso. Pesquisas em 5.000 pacientes, chegaram à conclusão que os mais obesos são aqueles que trabalham sob muita pressão. O relatório concluiu que, para combater isto, devemos controlar os nossos níveis de açúcar no sangue, devendo consumir comida com muitos hidratos de carbono, como a banana.
Úlcera - A banana é usada nas dietas contra as desordens intestinais pela sua textura suave e por ser um fruto muito macio. É o único fruto que pode ser comido sem causar distúrbios mesmo nos casos mais graves. Ela também neutraliza a acidez excessiva e reduz a irritabilidade criando uma camada protetora  nas paredes do estômago.
Controle de Temperatura - Muitas culturas vêem a banana como um fruto ‘calmante’ porque consegue baixar a temperatura, quer física quer emocional, nas mulheres grávidas. Na Tailândia, por exemplo, é hábito as mulheres grávidas comerem bananas para se assegurarem de que o seu filho nasça com a temperatura correta.
Fumo - A banana pode ajudar quem quer deixar de fumar. As vitaminas B6 e B12, o potássio e o magnésio que contêm, ajudam o corpo a se recuperar dos efeitos da falta de nicotina.
Stress - O potássio é um mineral vital que ajuda a normalizar o batimento cardíaco, que auxilia a ida do oxigénio para o cérebro e que regula a distribuição de água pelo corpo. Quando estamos ‘stressados’ o nosso metabolismo se altera reduzindo os níveis de potássio. Podemos ajustá-los com a ajuda deste fruto, rico em potássio.
Cortes - De acordo com o ‘New England Journal of Medicine’, comer bananas regularmente pode reduzir o risco de morte por cortes até mais de 40%! Assim, a banana é um remédio natural para muitos males. Acrescentado só uma coisinha, a banana ajuda a ajustar o organismo no chamado ‘jet leg’. Para quem viaja de um continente para outro com muitas horas de diferença do fuso horário, comendo bananas, devido as propriedades do potássio, o organismo consegue se ajustar mais depressa ao novo horário.
Comparando-a com a maçã, tem quatro vezes mais proteínas, o dobro dos hidratos de carbono, três vezes mais fósforo, cinco vezes mais vitamina A e ferro e o dobro das outras vitaminas e minerais. É um fruto rico em potássio e um dos mais saudáveis alimentos existentes.
 
Vai uma banana aí?
Fontes:
http://www.portalsaofrancisco.com.br/
http://wwo.uai.com.br/
http://jornale.com.br/
http://coisautil.com/
http://coisautil.com/beneficios-de-comer-banana/
http://www.bananaetc.blogger.com.br/
http://respeitoanatureza.blogspot.com/
http://esoterissima.com.br/
http://efemerides-efemeras.blogspot.com/
http://www.quadrangularbarueri.com.br/
http://johnnypontes.blogspot.com/
 
22/09 – Dia Nacional da Juventude
 
O DNJ é festa, manifestação e tomada de posição não só para os jovens participantes de grupos, como para todos os outros jovens.
O ano de 1985 foi decretado pela ONU como o Ano Internacional da Juventude. Em 1986 aconteceu o primeiro Dia Nacional da Juventude. O DNJ é um evento realizado anualmente, esse dia é marcado por mobilizações de milhares de jovens, em todo o país, para celebrar a vida da juventude.
O DNJ é tempo de mudança, de rever a vida como jovens e como pode ser melhorada diante da sociedade, assumindo algum posicionamento. 

O número de jovens existentes no mundo equivale a mais de um terço da população do planeta. Eles precisam não só ter voz ativa para traçar o seu próprio futuro, como também ter assegurado para si uma estabilidade nos seus planos profissionais e de lazer. Isto inclui um meio ambiente saudável, melhorias nos níveis de vida, mas principalmente na educação. 
A palavra chave para os jovens brasileiros é cidadania. Uma cidadania ativa só é possível num quadro institucional atento às necessidades da juventude e que esteja em condições de responder às suas expectativas, dando-lhes os meios necessários para exprimirem suas idéias e melhor se manifestarem nas nossas sociedades.

Para garantir os seus direitos, o jovem não deve jamais se esquecer que tem o dever de lutar por eles: saber reivindicar o direito à educação, ao ingresso no mercado de trabalho, à saúde, à segurança nas ruas, à diversão. Os direitos dos jovens não devem ficar só no papel; devem fazer parte de suas vidas e jamais serem violados !

Uma das maiores preocupações do jovem atual é o mercado de trabalho. Mas antes dele, é preciso lembrar que as bases de uma vida profissional bem sucedida se assentam na educação escolar. Segundo o IBGE, em relação a atividades exercidas pelos jovens, registra-se uma pequena redução na proporção dos que trabalham mais de 40 horas semanais, passando de 76,8% em 1992 para 70,8% em 1999. 
Enquanto isso, a escolarização cresce a olhos vistos entre os jovens de 20 a 24 anos: em 1992, a porcentagem era de 16,9% e chegou a 25,5%, em 1999. Existem hoje no Brasil aproximadamente 35 milhões de jovens, com idade entre 15 e 24 anos. A maior parte deles não tem acesso a bens como computadores, além de direitos básicos, como educação de qualidade e emprego. "Uma data em que se comemore o Dia da Juventude contribui para dar mais visibilidade ao problema e possibilitar o comprometimento de toda a sociedade com essa causa.”

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) define o jovem como aquele que se encontra na faixa entre os 15 e 24 anos. Já outros órgãos, como os do terceiro setor, preferem dar essa classificação às pessoas com idade entre 19 e 29 anos, separando-os dos adolescentes. São tantas as teses, livros e hipóteses sobre o assunto, que chegamos à conclusão de que o conceito é totalmente individual. Sendo assim, a sua juventude pode estar impressa nos dados do seu RG, nas rugas do seu rosto ou na sua postura perante os acontecimentos e fatos sociais.
Os jovens do mundo, que somam hoje mais de um bilhão, são um dos mais importantes recursos humanos para o desenvolvimento e podem ser agentes essenciais de inovação e de mudanças sociais positivas. No entanto, a dimensão da pobreza dos jovens priva o mundo desse potencial. Num mundo tão rico como o nosso, quase um quinto das pessoas com idades compreendidas entre 15 e 24 anos têm de sobreviver com menos de um dólar por dia e quase metade vive com menos de dois dólares por dia.
Ainda que os jovens constituam um quarto da população ativa, representam metade do total de desempregados. O mercado de trabalho tem dificuldade em assegurar aos jovens, empregos estáveis, que lhes ofereçam boas perspectivas, exceto quando são altamente qualificados. Sem um trabalho condigno, os jovens tornam-se particularmente vulneráveis à pobreza. Por sua vez, isso dificulta o acesso à educação e a serviços básicos de saúde, limitando ainda mais a sua empregabilidade.
 
A comunidade internacional já reconheceu a existência do fenômeno que os especialistas chamam de “juvenilização da pobreza” e considerou-o uma área prioritária no Programa de Ação Mundial para a Juventude. O documento considera os jovens como plenos parceiros, no contexto dos esforços em prol da erradicação da pobreza e da realização dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. O compromisso dos governos em relação às prioridades em matéria de desenvolvimento foi renovado e reforçado na Cúpula Mundial de 2005, que criou uma nova oportunidade de envolver os jovens nas decisões sobre questões que os afetam.
O desafio que enfrentamos é claro: devemos prestar mais atenção à educação e, em especial, à transição da educação para o emprego. E a possibilidade dos jovens conquistarem o pleno emprego produtivo deve ser uma meta fundamental das estratégias nacionais de desenvolvimento, incluindo as políticas de redução da pobreza. O triste quadro parece ter solução: cada vez mais os jovens estão se conscientizando de seu papel político e social. A ação dos jovens, sua inclusão e sua completa participação são chaves para o desenvolvimento do mundo atual. Coragem e determinação sempre foram características da juventude, por isso seguimos sempre adiante. 

Parabéns a toda juventude brasileira!

Fontes:
http://www.portalsaofrancisco.com.br/
http://lucimarbueno.blogspot.com/
http://pjrs-diocesestoangelo.blogspot.com/
http://gruporenascer-rcc.blogspot.com/
http://entrejovensmundomissao.blogspot.com/
http://educadoresdesucesso.blogspot.com/
http://setorjuventuderiopreto.blogspot.com/
http://pnsdaconceicaobenfica.blogspot.com/
http://www.coroataradioweb.com/
http://www.pjumuarama.com.br/

22/09 – Dia do Contador
 O profissional de Contabilidade é responsável por desenvolver a arquitetura de sistemas de informações aos usuários internos e externos de uma empresa, realizar trabalhos de perícias, auditorias internas e externas, controladoria, planejamento tributário e consultoria. Ao estudar e gerenciar o patrimônio, as transações comerciais, os fluxos de caixa, o contador interpreta os fatos econômicos dentro de uma Empresa e, assim, pode controlar melhor suas contas.
Por Lei, toda empresa é obrigada a contratar os serviços deste profissional. Seja um Banco ou uma Propriedade Rural, Microempresa ou Indústria, Cooperativa ou Casa de Comércio, Hospital ou Empresa Aérea.
O profissional com formação em ciências contábeis deverá, ao sair da escola universitária, estar capacitado para analisar, pesquisar e discernir sobre a rede de informações econômicas, financeiras e patrimoniais de uma entidade, sempre utilizando de bom senso e parcimônia. Exige a capacidade de estar permanentemente se atualizando e estudando, pois a legislação que rege as transações fiscais, comerciais e tributárias estão constantemente sofrendo alterações.
O mercado globalizado de hoje exige que a qualificação do profissional em contabilidade avançada esteja apto a assumir novas responsabilidades, e é muito amplo o leque de possibilidades e áreas em que pode atuar. O contador pode atuar como planejador tributário, analista financeiro, contador geral, auditor interno, contador de custo, contador gerencial, atuário, auditor independente, empresário contábil, perito contábil, investigador de fraude, professor, pesquisador, escritor, parecerista, conferencista, contador público, agente fiscal de renda e oficial contador.
Regulamentada pelo decreto nº 9295 de 1946, a profissão de contador tem suas atribuições definidas pela resolução 560, de 1983, do Conselho Federal de Contabilidade. O dia 22 de setembro foi escolhido Dia do Contador porque nessa data se comemora o dia do padroeiro da profissão, São Mateus, um apóstolo que antes de se dedicar à evangelização exercia a atividade de publicano (cobrador de rendimentos públicos, uma categoria de gente rica que arrematava em leilão o direito à cobrança dos impostos nas diversas províncias romanas).
O Caduceu, Símbolo da Contabilidade, é representado por um bastão entrelaçado com duas serpentes, que na parte superior tem duas pequenas asas ou um elmo alado. Sua origem se explica racional e historicamente pela suposta intervenção de Mercúrio diante de duas serpentes que lutavam, as quais se enroscavam em seu bastão.  Os romanos utilizaram o caduceu como símbolo do equilíbrio moral e da boa conduta; o bastão expressa o poder; as duas serpentes, a sabedoria; as asas, a diligência; o elmo é emblemático de pensamentos elevados. O caduceu é na atualidade a insígnia do bispo católico ucraniano. Do ponto de vista dos elementos, o caduceu representa sua integração, correspondendo o bastão à terra, as asas, ao ar; as serpentes à água e ao fogo (movimento ondulante da onda e da chama). A antigüidade do símbolo é muito grande e encontra-se na Índia gravado nas lápides de pedra denominadas “nagakals”, uma espécie de ex-votos que aparecem à entrada dos templos. Erich Zimmer deriva o caduceu da Mesopotâmia, onde o vê no desenho da taça sacrifical do rei Gudea de Lagash (2.600 a.C.). Apesar da longínqua data, o autor mencionado diz que o símbolo é provavelmente anterior, considerando os mesopotâmicos as duas serpentes entrelaçadas como símbolo do Deus que cura as enfermidades, sentido que passou à Grécia e aos emblemas de nossos dias. Do ponto de vista esotérico, a vara do caduceu corresponde ao eixo do mundo e suas serpentes aludem à força Kundalini que, segundo os ensinos tântricos, permanece adormecida e enroscada sobre si mesma na base da coluna vertebral (símbolo da faculdade evolutiva da energia pura).
 Segundo Schneider, os dois S formados pelas serpentes correspondem à doença e à convalescença. Em realidade, o que define a essência do caduceu é menos a natureza e o sentido de seus elementos que sua composição. A organização por exata simetria bilateral, como a balança de Libra, ou na triunidade da heráldica (escudo entre dois suportes) expressa sempre a mesma idéia de equilíbrio ativo, de forças adversárias que se contrapõem para dar lugar a uma forma estática e superior. No caduceu, este caráter binário equilibrado é duplo: há serpentes e asas, pelo que ratifica esse estado supremo de força e autodomínio (e, conseqüentemente, de saúde) no plano inferior (serpentes, instintos) e no superior (asas, espírito). A Antigüidade, inclusive a grega, atribuiu poder mágico ao caduceu. Há lendas que se referem à transformação em ouro de tudo o que era tocado pelo caduceu de Mercúrio (observe-se a antecipação que a associação dos nomes determina, com respeito à alquimia) e a seu poder de atrair as almas dos mortos. Mesmo as trevas podiam ser convertidas em luz por virtude desse símbolo da força suprema cedida a seu mensageiro pelo pai dos deuses. Muitas atribuições e protetorados a mitologia confere a Mercúrio. Ao tomar o caduceu como seu símbolo, ele também tornou-se o símbolo de tudo o que protegia, inclusive o comércio. Como a Contabilidade Comercial foi a ciência mais importante durante milênios, é justificável a adoção de Mercúrio como patrono da Contabilidade. A própria literatura contábil atesta essa predominância. A primeira obra impressa de contabilidade industrial surgiu no início do século XVII, e os locais onde se ensinava a contabilidade eram denominados "Escolas de Comércio". 
Em Portugal (século XVIII) quando iniciou-se o ensino da Contabilidade, em escolas onde se formavam os Contadores que vinham para o Brasil, o processo didático denominava-se "Aulas de Comércio". Ainda hoje possuímos os colégios comerciais, formando técnicos em Contabilidade. Essa poderosa associação de "Aulas de Comércio", "Escolas Técnicas de Comércio", "Escrita Mercantil", "Livros Comerciais" (expressões do Direito), justifica a adoção de Mercúrio, como evocação representativa, e do caduceu  como representante simbólico desse mesmo Deus, como símbolos da Contabilidade.
As transformações contemporâneas têm exigido muito de todas as áreas do conhecimento humano. Não é diferente na Ciência Contábil.
Que Deus os ilumine para que todos os Contadores(as) deste Gigantesco País tenham firmeza, segurança, fé e boa vontade para responder aos inúmeros anseios sociais e assim contribuírem, com suas cotas-partes, para um país de paz e prosperidade. Feliz Dia do(a) Contador(a)!!
 
Fontes:
http://enquantoisso.com/
22/09 – Dia dos Amantes
Hoje é comemorado o Dia dos Amantes. E, ao contrário do que muitas mulheres pensam, é dia de celebrar com seu marido e parceiro, sim! Não é raro ver casamentos que, combalidos pela rotina, se tornam relações de companheirismo e respeito – mas sem paixão. Claro que isto não precisa acontecer; no entanto, como o dia-a-dia é sempre tão cheio de tarefas, é preciso prestar atenção para manter o romantismo e o tesão sempre acesos. A consultora de sensualidade Suzana Leal listou algumas dicas práticas para que as mulheres mantenham o casamento apimentado e se tornem verdadeiras amantes dos maridos.

01. Não deixe que o dia-a-dia tire o encanto da relação. Em termos práticos: use o banheiro de porta fechada e mantenha sua privacidade.
02. Mesmo nas brigas e discussões, fale baixo. Evite palavras ásperas e de baixo calão, pois ao longo do caminho elas fazem com que o respeito acabe.
03. Cuide de você. Faça cursos, atividades, cultive amigos. Mantenha sua autoestima elevada, pois para ser amada e admirada pelo parceiro você tem que se gostar primeiro.
04. Mantenha o ambiente da casa e, principalmente, do quarto de vocês cheiroso, com flores e lençóis com detalhes vibrantes: vermelho, laranja e amarelo são cores que aumentam a libido.
05. Apesar dos filhos, enteados e trabalho, tenha na agenda semanal de vocês umas horas sozinhos. Pode ser um cineminha, um jantar a dois. Se não der tempo nem para isso, reserve pelo menos uma taça de vinho para relaxar no final do dia.
06. Saiba ouvir com atenção aquilo que é importante para seu parceiro e mostre a ele seu interesse e companheirismo.
07. Mantenha-se sempre antenada com assuntos sobre, economia, política, cultura, assim os assuntos domésticos saem um pouco de cena e o papo pode fluir com mais variedade!
08. Saiba que é preciso sempre beijar na boca; o começo de tudo vem com um bom beijo.
09. Nunca frustre o parceiro quando ele quiser discutir sobre a relação. Embora muitas vezes cansativa, a famosa DR evita que um pingo d’água transborde uma taça.
10. É fundamental usar a imaginação e, por que não, brinquedinhos sexuais: óleos de massagem, vibradores, anel peniano, uma lingerie sexy. A noite começa engraçada a princípio, depois dá uma turbinada e vocês terão sensações inimagináveis.

É um senso comum entre as mulheres que o amor é capaz de funcionar como uma vacina contra a infidelidade. Mas o que poucas querem encarar é que, na verdade, esse fato nada mais é do que um mito bem mentiroso.
Mirian Goldenberg, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) que pesquisa o tema há quase 20 anos, é taxativa: “A ala masculina considera que a infidelidade faz parte de sua natureza poligâmica. Os homens podem amar a esposa e desejar outras mulheres sem grande conflito. Já as mulheres, tradicionalmente educadas para associar sexo e amor, consideram que traição só é possível quando não se ama mais o parceiro, e sim outra pessoa."

 Confira o que os especialistas têm a dizer sobre os mitos que envolvem a vida de amantes e o tema traição:
Mito
Quem ama de verdade não trai

Pode trair, sim. “Mesmo que ame sua mulher, o homem justifica a infidelidade pelo desejo de novidade e aventura, porque surgiu a oportunidade, por crises pessoais ou no casamento”, observa Mirian. Já as mulheres dizem trair por sentirem falta de carinho e atenção ou por achar que não são mais desejadas pelo marido. Há também aquelas que traem para revidar as escapadas do parceiro. “Mesmo pessoas felizes no casamento às vezes traem por curiosidade, para testar o poder de sedução ou para chamar a atenção do cônjuge”, afirma a psicóloga Ana Maria Zampieri.

Mito
Mesmo amando o companheiro, a vontade de trair pode surgir
Verdade. Quando a convivência transforma a paixão em rotina é natural buscar algo diferente. Dê mais atenção às fantasias e procure descobrir se essa vontade vem de uma ânsia por novas sensações ou de pura necessidade de auto-afirmação. Por fim, tenha convicção de seus sentimentos pelo companheiro. Pondere se essa escapada valerá a pena, pois sua relação estará em risco. 
Mito
A traição é quase inevitável em relações de longo prazo
Nem sempre. Para Ana Maria Zampieri, existem etapas críticas que deixam os casamentos mais vulneráveis à infidelidade: nos dois primeiros anos, quando a paixão perde o fôlego; por volta dos dez anos, quando o sexo costuma ficar mais morno; e em torno dos 20 anos, sobretudo se o casal não resolveu bem crises anteriores.

Mito
Existe certo tipo de pessoa que trai
Não há um perfil único, pois a ocasião também faz o infiel. “Quando a oportunidade se apresenta, as pessoas mais impulsivas podem ter dificuldade de resistir ao desejo”, diz Ana Maria. Por outro lado, há um tipo com maior predisposição. “É o caso da figura muito narcisista, que tem dificuldade de criar vínculo afetivo e é movida pela necessidade de testar continuamente o seu poder de sedução”, define outra psicóloga, Arlete Gavranic. “Seja homem ou mulher, em geral é alguém com auto-estima bastante comprometida, que procura se afirmar por meio das conquistas.” 
Mito
A mulher é tão infiel quanto o homem

Não, pelo menos no Brasil, é o homem que trai mais. Há controvérsias sobre quanto a mais. Em estudo realizado entre 2002 e 2003 pelo Projeto Sexualidade (Pro-Sex), do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo, com 7.103 voluntários também de ambos os sexos, nas cinco regiões do país, o índice de traição masculino ficou em 50,6% e o feminino em 25,7%.


"AMANTE" é aquilo que nos "apaixona", é o que toma conta do nosso pensamento antes de pegarmos no sono, é também aquilo que, às vezes, nos impede de dormir.
O nosso "AMANTE
 " é aquilo que nos mantém distraídos em relação ao que acontece à nossa volta.
É o que nos mostra o sentido e amotivação da vida.
Às vezes encontramos o nosso "AMANTE" em nosso parceiro, outras, em alguém que não é nosso parceiro, mas que nos desperta as maiores paixões e sensações incríveis.
Também podemos encontrá-lo na pesquisa científica ou na literatura, na música, na política, no esporte, no trabalho, na necessidade de transcender espiritualmente, na boa mesa, no estudo ou no prazer obsessivo do passatempo predileto....
Enfim, é "alguém!" ou "algo" que nos faz "namorar a vida" e nos afasta do triste destino de "ir levando"!..
E o que é "ir levando"? 
Ir levando é ter medo de viver.
É o vigiar a forma como os outros vivem, é o se deixar dominar pela pressão, perambular por consultórios médicos, tomar remédios multicoloridos, afastar-se do que é gratificante, observar decepcionado cada ruga nova que o espelho mostra, é se aborrecer com o calor ou com o frio, com a umidade, com o sol ou com a chuva.
Ir levando é adiar a possibilidade de desfrutar o hoje, fingindo se contentar com a incerta e frágil ilusão, de que talvez possamos realizar algo amanhã*.
Por favor, não se contente com "ir levando"; procure um amante, seja também um amante e um protagonista ... DA SUA VIDA!
Acredite: O trágico não é morrer, afinal a morte tem boa memória, e nunca se esqueceu de ninguém.
O trágico é desistir de viver... Por isso, e sem mais delongas, procure um amante ...

A psicologia após estudar muito sobre o tema, descobriu algo transcendental:  
"PARA  ESTAR SATISFEITO, 
ATIVO  E SENTIR-SE JOVEM E FELIZ, 
É PRECISO NAMORAR A VIDA".
 Wanderlúcia Welerson Scott Meyer
Fontes:
 
Lembrem-se, as mudanças acontecem “De dentro pra fora!”















 

Nenhum comentário: