By Elaine Averbuch Neves

Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania. Depende de quando e como você me vê passar.

– Clarice Lispector -

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Abre a porteira que lá vem a boiada!!!

14/10 – Dia Nacional da Pecuária
A pecuária, ou criação de rebanhos, é uma atividade de extrema importância para economia brasileira. Diversas espécies animais contribuem para a obtenção de produtos como leite, lã, mel, ovos e ainda, para o fornecimento de carne e couro. A palavra pecuária vem do latim pecus, que significa cabeça de gado. Ela é praticada desde o período Neolítico (Idade da Pedra Polida), quando o homem teve a necessidade de domesticar o gado para a obtenção de carne e leite.

O termo em inglês biological diversity (diversidade biológica) foi criado por Thomas Lovejoy no ano de 1980, enquanto o termo biodiversity (biodiversidade) foi inventado por W.G. Rosen em 1985. Desde este momento, o termo e o conceito são muito utilizados entre os biólogos, ambientalistas e ecologistas do mundo todo.

A pecuária corresponde a qualquer atividade ligada a criação de gado. Portanto, fazem parte da pecuária a criação de bois, porcos, aves, cavalos, ovelhas, coelhos, búfalos, etc.  A pecuária ocorre, geralmente, na zona rural e é destinada a produção de alimentos, tais como, carne, leite, couro, lã, etc.
De acordo com a Pesquisa da Pecuária Municipal de 2000, feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, o maior rebanho do país é o de aves, com mais de 850 mil cabeças, seguido pelo rebanho bovino, com 170 mil cabeças. Além dessas espécies, o Brasil possui também gado ovino(carneiros), suíno(porcos), caprino(cabras) e eqüino(cavalos).

A exigência do consumidor sobre os produtos de origem animal tem se tornado maior a cada dia, tanto no Brasil, como no exterior. À medida que cresce essa exigência, cresce também o aperfeiçoamento do conhecimento e do controle da produção. No Brasil, para conquistar os mercados europeu e americano, a pecuária nacional tem adotado medidas rígidas, sobretudo no que diz respeito a erradicação e controle da febre aftosa. Uma outra medida que pode tornar o a pecuária brasileira mais competitiva, é a adoção e consolidação da rastreabilidade - controle do animal desde sua origem. 

Existem dois tipos de pecuária:
Pecuária de corte - Destinada à criação de rebanhos com objetivo de produção de carne para o consumo humano. Na intensiva, o gado é criado preso ou em pequenos espaços, alimentado com ração específica.  Neste tipo de criação, a carne produzida é macia e de boa qualidade para o consumo. Pode ser também pecuária extensiva (o gado é criado solto e alimenta-se de capim ou grama). A carne produzida é dura, pois o gado desenvolve 

Pecuária leiteira - Destinada à produção de leite e seus derivados (queijos, iogurtes, manteigas, etc). O Brasil é, mundialmente, um dos países mais fortes na pecuária. Em termos de quantidade de cabeças de gado, nosso país encontra-se na liderança. Somos também um dos maiores exportadores de carne de boi e frango, sendo que os países asiáticos e europeus são os principais importadores da carne brasileira. Com relação ao leite, os estados de Minas Gerais e São Paulo destacam-se na produção nacional.Atualmente, técnicas de inseminação artificial e clonagem tem sido aplicadas na pecuária, gerando excelentes resultados na qualidade e na produção de carne, leite e seus derivados.
E viva a Pecuária brasileira!!!
 Fontes:

Ah! Se for sair, não esqueça o "bom e velho" companheiro "guarda-chuva"!! 
E lembrem-se sempre, as mudanças acontecem "De dentro pra fora!" 




Nenhum comentário: