By Elaine Averbuch Neves

Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania. Depende de quando e como você me vê passar.

– Clarice Lispector -

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Blogando, amando, contrastando....

05/10 – Dia Mundial dos Animais

Talvez você não saiba, mas os animais ao redor do mundo têm um dia especial só para eles. 05 de outubro é o Dia Mundial dos Animais, data internacional de celebração da vida animal no planeta!
Criado em 1931, por um grupo de ecologistas, em Florença, na Itália, o Dia Mundial dos Animais inicialmente tinha como objetivo fazer as pessoas refletirem sobre o perigo da extinção das espécies. Desde então o dia passou a abranger todos os animais e a ser comemorado mundialmente, despertando nossa consciência para tratá-los com mais respeito, valorizando seu bem-estar e mantendo-os livres dos maus-tratos e da crueldade.
Não importa o tamanho, raça, cor, espécie. Os animais, grandes ou pequenos, são apaixonantes!
À luz do Dia Mundial dos Animais, o Partido Mundial dos Animais (PAW, Party for Animals Worldwide) chama a atenção das pessoas para as inúmeras associações beneficentes para animais em todo o mundo, que se esforçam para ajudar e proteger os animais do sofrimento. O PAW é uma organização única, criada recentemente para ajudar a levantar fundos e consciencializar as pessoas sobre associações beneficentes para animais, em eventos de música ao vivo. O PAW já ganhou o apoio de muita gente célebre, desde artistas a músicos, passando por muitas outras profissões.
Muitos erros e atrocidades são cometidos contra os animais, por falta de conhecimento, pela ganância ou em nome de tradições culturais. Infelizmente isso ainda acontece em muitos lugares do planeta.
Ainda hoje vemos situações que não podem ser aceitas sem pelo menos um sentimento de forte indignação. Abrigos superlotados com animais abandonados à própria sorte pelos seus donos, maus-tratos, envenenamentos, venda ilegal de animais selvagens; ursos torturados na China; circos; caça às baleias; feiras de animais sem controle sanitário; uso de animais em testes para cosméticos; projetos de lei que perpetuam os maus-tratos e uso em experiências científicas.
Algumas regras para ajudarmos os animais: Lembrar de pensar nos animais que compartilham o planeta Terra conosco. Cada um de nós pode fazer alguma coisa para ajudar a protegê-los.
Nas cidades - cuidar e proteger os animais de estimação, com alimentação, abrigo, cuidados veterinários, não deixando que eles se reproduzam se não tiverem condições de cuidar dos filhotes, e explicando a toda gente, que não se pode abandonar animais sozinhos nas ruas, que eles não sobrevivem sozinhos e correm muitos perigos.
Nas florestas - não retire os animais de seu habitat natural, ajudando a preservar os ecossistemas, a limpeza das águas dos rios; combata a poluição, a não limpeza das matas, e as queimadas. 
Respeite os animais não-domesticados que convivem conosco nas cidades, como pardais, lagartixas, corujas, sapos, morcegos, e tantos outros. Eles são importantes para o equilíbrio natural.
Pesquise mais sobre os animais e suas necessidades.
Use a criatividade e a imaginação.
Procure saber se na sua cidade existem entidades protetoras de animais, converse com as pessoas envolvidas, conheça mais sobre o trabalho que desenvolvem. Se você puder, engaje-se nessa luta também!
Existe um caminho a ser seguído, que é o respeito a todas as formas de vida, tanto nos aspectos mais básicos, como no abrigo e alimentação, direito ao afeto, à liberdade e à vida.
Adote um animal sim, mas faça-o com consciência.
São Francisco de Assis, Padroeiro dos Animais, sempre os tratou como iguais... Sigamos este exemplo iluminado de amor incondicional, fazendo uma oração por todos os animais que não tem um lar de amor e respeito, para que possamos juntos, através da fé, enviar esperança a todos os nossos irmãozinhos que estão desamparados. “Senhor, faça de mim um instrumento de Vossa Paz!
Todas as coisas da Criação são filhos do Pai e irmãos do homem.
Deus quer que ajudemos os animais, se necessitam de ajuda. Toda criatura em desgraça tem o mesmo direito a ser protegida.”
São Francisco de Assis
Neste dia, celebramos os direitos dos animais, contudo é uma pena que precise haver um dia do ano dedicado aos nossos amigos para que as pessoas se lembrem que os animais têm direitos tal como nós. Apesar de ser um dia muito feliz para os nossos animais que, certamente, agradecem o lar que possuem, seus donos, que os paparicam com miminhos e guloseimas, ficamos tristes porque continua a haver pelo mundo afora e cada vez mais, animais que nunca sentiram o que é o calor humano, nem sequer sabem o que é viver sem violência e sem solidão.
Há que considerar que o respeito aos animais, por parte do homem, está relacionado com o respeito dos homens entre eles próprios. Faz parte da educação, ensinar, desde a infância, a observar, compreender, respeitar e amar os animais.
Amem os vossos.
Fontes:
05/10 – Dia do Bóia Fria (o Brasil que (quase)ninguém vê....)
O termo bóia-fria pode possuir vários significados que variam de acordo com a abordagem. As pessoas que recebem esse nome vivem ou já viveram no campo, quase sempre tiveram poucos anos de estudo e não possuem qualificação profissional. No dicionário “bóia-fria” é o “trabalhador agrícola que se desloca diariamente para propriedade rural, geralmente para executar tarefas sob empreitada”. Mas, o dicionário não menciona suas condições indignas e perigosas de trabalho. Sem direitos, sem educação, trabalhando nas terras de outro por salários que não são suficientes nem para uma pessoa, que dirá para uma família.
Muitas dessas pessoas são analfabetas ou semianalfabetas, que se sujeitam ao trabalho no campo em diversas culturas, quase sempre em períodos de colheitas, geralmente em baixas condições de trabalho e salarial. O termo bóia-fria designa um indivíduo que executa um trabalho na zona rural sem a obtenção de vínculos empregatícios.
A expressão bóia-fria é proveniente do modo como eles se alimentam, pois saem para o trabalho de madrugada e já levam suas marmitas, como não existem meios para esquentá-las, ingerem a comida fria.
O termo bóia-fria foi difundido no centro-sul do país, quando trabalhadores sazonais eram chamados para trabalhar em colheitas, esses geralmente viviam, e ainda vivem, em áreas periféricas dos municípios e os atravessadores são os responsáveis pelo recrutamento. 
O bóia-fria dirige-se para o trabalho entre quatro e cinco horas da manhã, momento em que o caminhão passa para transportá-los até a plantação, o motorista do transporte executa a negociação, quanto ao valor pago pelo trabalho, pois cada indivíduo ganha por aquilo que produz, ou seja, o valor é resultado da quantidade de toneladas ou arrobas colhidas.
A carga horária varia entre dez e doze horas diárias e somente trinta minutos para o almoço e esse, como foi dito anteriormente, é consumido frio, no fim da tarde os trabalhadores são levados de volta para casa e no outro dia repetem a mesma rotina.
Nas entressafras os trabalhadores ficam sem trabalho e buscam serviço em outras regiões, dessa forma vivem migrando de uma região para outra. O fluxo desses trabalhadores fica entre os Estados de São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, atuando especialmente na colheita de cana-de-açúcar, algodão, café e laranja. 
O bóia-fria passa por muitos problemas em face das condições degradantes de trabalho; os trabalhadores, para obter maiores ganhos, sujeitam-se a um imenso esforço físico, muitos até morrem em razão disso. Segundo alguns fisiologistas, o corte de cana requer uma disponibilidade física igual à de um atleta de ponta, porém o trabalhador não possui tal preparo. 
O presidente Lula, como bom mercador é claro, não cansa de defender o etanol brasileiro e dizer que os "dedos apontados contra a energia limpa dos biocombustíveis estão sujos de óleo e de carvão". Os ufanistas, sempre muito animados com o etanol brasileiro, só se esquecem de assumir o maior problema que afeta o setor: a desumana exploração da mão-de-obra. A imensidão de lavouras de cana foi formada e é colhida anualmente, graças às mãos de milhares de trabalhadores rurais temporários explorados, em pleno século XXI, de forma bárbara. Os conhecidos “bóias-frias”.
A escravidão é nítida ainda hoje e o setor é um dos que mais contribuem para a procrastinação desse terrível mal.
Esses trabalhadores sofrem com as péssimas condições de trabalho, falta de assistência e proteção, alimentação inadequada, transporte desumano, excesso de horas trabalhadas, remuneração indigna, falta de capacitação profissional, dentre outras mazelas.
Muitas reportagens são feitas nesse sentido e através delas muitos resultados já foram alcançados. Pelo fato de o álcool estar em ascensão, há centenas de usinas e o trabalho ligado a esse setor é grande, dessa forma muitas empresas têm oferecido melhorias nas condições de trabalho, tais como carteira assinada, alimentação com boa qualidade, roupas adequadas e equipamentos de segurança.
“Brasil, um país de muitos contrastes e, entre todos estes contrastes, o Bóia Fria, um Brasil(eiro) que (quase) ninguém vê....
Então vamos aproveitar que existe um (único) dia dedicado a este trabalhador brasileiro, escondido e maltratado, para divulgar sua vida, condições de trabalho, famílias, esperando assim, que quanto maior o número de pessoas a conhecer de fato a realidade rural em regime escravo que ainda existe em pleno século XXI, alguma coisa possa ser feita em prol, pelo menos das gerações futuras!”
Elaine Averbuch Neves
Fontes:
05/10 – Dia das Aves
O Brasil é o terceiro país do mundo em variedade de aves. Há décadas, várias espécies de aves vem sofrendo grandes impactos, seja pelo intenso tráfico de animais silvestres ou pelo intenso desmatamento de grandes florestas. A perda do hábitat é um dos grandes fatores de inúmeras espécies estarem desaparecendo.
 Papagaio de Cara-Roxa
Cada vez mais tem aumentado o número de aves nas cidades. Os programas de arborização urbana e pessoas tem plantado mais árvores em suas casas e ruas, isto é um grande atrativo para inúmeras espécies de aves que vem atrás de alimento, como frutas e sementes.
 Japim ou Xexéu
As Unidades de Conservação foram criadas para a conservação e preservação de ecossistemas, sendo que muitos deles abrigam inúmeras espécies, principalmente aves, sendo a maioria ameaçadas de extinção, como o papagaio de cara-roxa, o japim, a gralha-azul, o maçarico-rasteiro, o tucano-de-bico-verde, o flamingo, o macuco, a ararinha-azul, a maria-faceira, entre outras.
 Gralha-Azul
Como conservar e proteger as aves:

Recusando-se a comprar e a comercializar animais silvestres;
Não mantendo animais em cativeiro;
Não matando e nem sacrificando-os;
Denunciando aqueles que assim o fazem ou persuadindo a que mudem de comportamento;
Não jogando detritos nos cursos d'água, rios, igarapés e nem desmatando as suas margens; 
 Maçarico-Rasteiro
Evitando adquirir produtos poluentes, cujo refugo não seja biodegradável e preservando áreas verdes;
Aprendendo e difundindo conhecimento entre os colegas, associando-se a uma associação ou entidade ambientalista;
Plante árvores e arbustos frutíferos; 
 Tucano-de-Bico-Verde
Plante e mantenha em seu quintal ou sítio, plantas, arbustos e fruteiras que as aves possam utilizar para comida e abrigo (quanto maior a variedade de fruteiras, maiores serão as possibilidades de atrair uma variedade de pássaros visitantes);
 Flamingo
Algumas espécies de árvores frutíferas atraem muitos pássaros, como o mamoeiro, a goiabeira, a ingazeira, a acerola, o jambeiro, a mangueira entre outras. Não colete todas as frutas, deixe algumas para as aves e insetos. Muitos pássaros incluem em sua dieta alimentar estes insetos que são atraídos pelas frutas maduras.
 Macuco, Ararinha-Azul e Maria-Faceira
Fontes:
05/10 - Dia Nacional de Combate à Obesidade
A obesidade é fator de risco de enorme importância para as principais causas de mortalidade, morbidade e incapacitação no Brasil - doenças cardiovasculares, doenças do aparelho locomotor, diabetes, entre outras. A obesidade é um excesso de gordura no corpo que, na prática, é medido pela relação entre o peso e a altura, que apesar de não ser a forma mais precisa, vale para grandes populações. 

A fórmula mais precisa é a medição da cintura, que deve ser de até 80cm para mulheres e de até 90 cm para os homens.
A Organização Mundial de Saúde (OMS) formulou um parâmetro para definir a obesidade, derivado da altura e do peso do paciente. Este parâmetro é conhecido como Índice de Massa Corporal (IMC), calculado através da fórmula: IMC = peso (valor em quilogramas) dividido pela altura (valor em metros) ao quadrado. A obesidade é definida como um índice de massa corporal (IMC) com valor acima de 30. 


Através da medida do IMC, classificam-se diferentes graus de obesidade. Indivíduos com IMC compreendido entre os valores 18,5 a 24,9 são definidos como normais; um IMC compreendido entre 25,0 a 29,9 classifica o indivíduo em uma graduação de sobrepeso; finalmente, pacientes com IMC de valor igual ou superior a 30,0, são considerados obesos. 

Para evitar a obesidade, coma 3 ou 4 refeições balanceadas, pobres em gorduras, e com muitas fibras todos os dias. Todas as vezes que você come mais do que o necessário, o seu corpo irá guardar o excesso em forma de gordura.
Uma boa dieta é essencial não só para combater as doenças cardiovasculares, mas pode ainda diminuir o risco de vários tipos de câncer. 
Técnicas para evitar a Obesidade:

01. Mantenha um diário alimentar
02. Maximize a percepção da alimentação evitando a alimentação automática
03. Identifique os desencadeadores ("gatilhos") da alimentação
04. Não faça nada diferente enquanto come (ver TV ou ler jornal, por exemplo)
05. Alimente-se no local adequado, sentado - não coma em pé ou andando
06. Pouse os talheres entre os bocados e mastigue devagar os alimentos.
07. Use uma lista durante as compras e não faça compras em jejum ou com fome
08. Compre alimentos que requerem preparo
09. Mantenha alimentos saudáveis à vista e alimentos problemáticos fora da visão
10. Não coloque as travessas da mesa durante a refeição
11. Coma uma porção de cada vez e saia da mesa após alimentar-se
12. Evite dar e trocar receitas calóricas de alimentos
13. Prepare-se com antecedência para eventos especiais e situações que podem colocar seu emagrecimento em risco, comendo por exemplo, seis nozes antes.


O excesso de peso sobrecarrega o coração, que precisa se esforçar mais para cumprir suas funções. Diminuir de 5 a 10 quilos no peso já reduz o risco de doença cardiovascular. Uma pesquisa feita na Universidade do Rio de Janeiro indica que mudanças de hábitos de vida que provoquem redução de peso superior a 5% têm efeitos muito positivos no risco cardiovascular dos obesos, sejam homens ou mulheres.
Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que a obesidade já atinge mais de 400 milhões de pessoas em todo o mundo. No Brasil, de acordo com dados do Ministério da Saúde, pelo menos 3,5 milhões de pessoas estão em estado de obesidade mórbida, ou seja, estão com pelo menos 40 quilos acima do peso corporal ideal.
Por conta do crescimento da obesidade, o Brasil tem registrado um aumento no número de cirurgias bariátricas, popularmente conhecida como redução do estômago, que é indicado no tratamento da obesidade mórbida. No ano de 2009 o Brasil realizou 30 mil cirurgias, um crescimento de 500% nos últimos 10 anos.
A obesidade interfere de forma diferente em homens e mulheres no desenvolvimento do câncer. Segundo relatório Saúde Brasil, desenvolvido pelo Ministério da saúde, a obesidade responde por:

No sexo feminino
29% dos casos de câncer no útero.
26% dos casos de câncer de esôfago.
16% dos casos de câncer de rim.
14% dos casos de câncer de pâncreas.
14% dos casos de câncer de mama.
1% dos casos de câncer de colorretal (intestino grosso).
No sexo masculino
25% dos casos de câncer de pâncreas.
20% dos casos de câncer de esôfago.
10% dos casos de câncer de rim.
8% dos casos de câncer de colorretal.
 
Dia Nacional de Combate à Obesidade, um dia de conscientização e valor à saúde. Reflexão e atitude.
Fontes:
E lembrem-se, as mudanças acontecem “De dentro pra fora!”



























- São 





Nenhum comentário: