By Elaine Averbuch Neves

Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania. Depende de quando e como você me vê passar.

– Clarice Lispector -

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Gostosuras ou Travessuras???

31/10 – Dia das Bruxas (Halloween)
Apesar de ser uma festa, atualmente celebrada principalmente pelas crianças (o já famoso e conhecido “Tricks or Treats” – Gostosuras ou Travessuras), o Halloween é sinônimo de muitos sustos e figuras macabras, pois é a comemoração da volta dos mortos (uau!) para tomar posse dos corpos dos vivos (putz!). É isso mesmo pessoal, arrepiante, a origem do Halloween tem mais de 2500 anos e surgiu entre o povo celta, nos anos 600 a.C. e 800 d.C. A princípio o Halloween funcionava como um festival celta da Irlanda, o Festival de Samhain, (samhain significa literalmente fim do verão)  que ia do dia 30 de outubro a 2 de novembro, e marcava o fim do verão, sendo uma data sagrada para eles, porque eles acreditavam que no último dia do verão (no hemisfério Norte), 31 de outubro, os espíritos voltavam ao mundo dos vivos. Era uma celebração pagã que tinha como objetivo dar culto aos mortos. Entre o pôr-do-sol do dia 31 de outubro e 1° de novembro, ocorria a noite sagrada (hallow evening, em inglês), acredita-se que assim se deu origem ao nome atual da festa: Hallow Evening Hallowe'en Halloween.
Para espantar os fantasmas, os celtas espalhavam objetos assustadores pelas casas, como abóboras, caveiras e ossos. Toda esta decoração tinha um bom motivo, manter bem longe os espíritos. Atualmente o Halloween ou Dia das Bruxas virou tradição principalmente nos Estados Unidos, onde já faz parte do calendário de comemorações. Na América do Norte, o Halloween foi introduzido pelos imigrantes irlandeses no século XIX. 
A celebração do 31 de Outubro, possivelmente pela sua origem como festa dos druidas, vem sendo atualmente muito promovida por diferentes  grupos e associações, assumindo até o caráter de celebração ocultista. Hollywood se tornou um grande exemplo, através de vários filmes, sendo os mais famosos a série Halloween, na qual a violência sangrenta e os assassinatos acabam criando em quem assiste um estado de angústia e ansiedade. 
Muitos desses filmes, apesar da restrição de idade, acabam sendo vistos por crianças, gerando nelas o medo e uma idéia errada da realidade. Não existe ligação dessa festa com o mal. Na celebração atual do Halloween, pode-se notar a presença de muitos elementos ligados ao folclore em torno da bruxaria. As fantasias, enfeites e outros itens comercializados por ocasião dessa festa estão repletos de bruxas, gatos pretos, vampiros, fantasmas e monstros, no entanto isso não reflete a realidade pagã.
A comemoração do Dia das Bruxas no Brasil é recente e foi introduzida principalmente pela mídia e pelas escolas de idiomas. Por ser um costume norte americano, a comemoração no Brasil é muito criticada, pois muitos dizem que o Brasil é rico em personagens folclóricos e que estes, não são valorizados. Com o que concordo plenamente! Porque não incorporarmos a esta tradição os nossos próprios personagens “assustadores”?... São tantos e diferentes, pelas várias regiões brasileiras; “Boi Tatá, Mula-sem-cabeça, Curupira”, etc. Mas enfim, continuando, como esta festa está relacionada à morte, figuras assustadoras fazem parte da decoração como: abóboras (adoro doce de abóbora!), conhecida também como Jack O’Lantern (Jack da Lanterna), bruxas e fantasmas. A lanterna vegetal chamada de Jack O’ Lantern em inglês, em Portugal chama-se Coca e no Brasil existe um personagem de folclore chamado Cuca. Em Portugal, a Abóbora do Dia das Bruxas é uma tradição ancestral.
Huhuhuhuááááááááá!!!!
                                                                                 
Mais datas a comemorar ainda no dia de hoje!
31/10 – Dia da Dona de Casa
Nas minhas pesquisas de datas comemorativas para o Blog, descobri que hoje é, entre outras datas,  o Dia da Dona de Casa! Um título já quase em extinção, porque há décadas, graças a afirmações e bandeiras desfraldadas pelo movimento feminista, a imagem da Dona de Casa ficou associada a uma condição de vida inferior. E não é preciso ficar trancafiada dentro de casa para ser Dona de Casa. Atualmente (graças a Deus) as mulheres trabalham fora de casa e “brincam de casinha” de verdade! Porque, cá entre nós, é preciso ser muito “guerreira” pra sair de casa todo dia e enfrentar o mercado de trabalho e, no fim da jornada, voltar pra casa e “brincar de casinha” de verdade.... 
Ser Dona de Casa não quer dizer acomodação, muito pelo contrário! Na verdade é preciso muita coragem, porque não é nada fácil cuidar e manter uma casa sempre arrumadinha, cuidar dos filhos e do marido, com amor, não apenas por obrigação, manter as finanças equilibradas, se atualizar com o que acontece fora dos muros de seu castelo, chamado de lar. Afinal a Internet está ao alcance de um toque apenas. Este Blog homenageia e com muito orgulho e admiração esta mulher guerreira, batalhadora, mãe, amiga, esposa, amante, irmã, cunhada, sogra, enfim a Dona de Casa brasileira! Que não deveria ser homenageada uma vez ao ano apenas, em uma data instituída, mas todos os dias do ano, pois ela não é Dona de Casa uma vez ao ano apenas, não é mesmo? Parabéns!!!
31/10 – Dia Mundial da Poupança
A idéia de uma data especial para a poupança surgiu em outubro de 1924, durante o I Congresso Internacional de Economia, em Milão. Mas no Brasil, a data passou a ser comemorada somente a partir de 1933, para estimular a captação nessa modalidade de investimento. O dia Mundial da Poupança, foi criado para chamar a atenção dos consumidores para a necessidade de disciplinar gastos e de economizar algum dinheiro, de forma a evitar situação de sobre-endividamento.
 
Poupar é abdicar de consumir hoje uma determinada parcela do rendimento, guardando-a para ser utilizada em momento futuro. O dinheiro guardado na poupança mantém, no futuro, seu poder de compra, acompanhando a valorização/desvalorização da moeda. Nesse dia Mundial da Poupança, Felizes e Prósperos investimentos para todos!!!
31/10 – Dia Mundial do(a) Comissário(a) de Vôo 
A carreira de comissário de vôo desperta o interesse de quem sonha em conhecer o mundo. Além da aura de glamour, o trabalho a bordo de um avião oferece vantagens como hospedar-se quase sempre em bons hotéis e ter contato com diferentes idiomas e culturas. Para ser Comissário de Vôo é preciso ter entre 18 e 29 anos e o ensino médio completo. As mulheres devem ter altura entre 1,58 e 1,70 metros e os homens, entre 1,65 e 1,75 metros. O que pode parecer discriminação tem um objetivo bem prático. "Não é questão de estética, mas de desempenho profissional. Um comissário muito alto teria problemas para se locomover pela aeronave. E outro com 1,50 metro não alcançaria os compartimentos de bagagem de mão". 
O Serviço de Bordo é apenas uma cortesia. O Comissário é um técnico em segurança, ou seja, responsável pelo cumprimento das normas e procedimentos de segurança no avião. Para isso ele recebe treinamento prático fornecido pelo DAC(Departamento de Aviação Civil) de combate ao fogo,  de sobrevivência na selva e no mar durante o curso, além de familiarização com os equipamentos de emergência disponíveis dentro de cada tipo de aeronave. Concluído o curso, o aluno presta exame de conhecimento junto à banca examinadora do DAC.
É claro que o papel de anfitrião a bordo é de suma importância e aí um outro aspecto é relevante nessa carreira: o preparo psicológico. É importante demonstrar equilíbrio, autoridade e simpatia ao mesmo tempo. Nada mais importante que este profissional não tenha receio algum de voar, já que é a sua fisionomia num momento mais crítico, que servirá de referência para acalmar os passageiros assustados. Parabéns a todos(as) os(as) Comissários(as) de Vôo por esse mundo afora!!!
31/10 – Dia da Reforma Luterana
 Neste dia, no ano de 1517, o monge Martinho Lutero expunha nas portas da Igreja de Wittenberg, na Alemanha, as 95 teses contra a venda de indulgências. Indulgência é o mérito, por boa ação ou compra, da remissão da pena dos pecados. Verdadeiros abusos eram cometidos nesta época. As pessoas achavam que não precisavam mais da graça, da fé, da palavra de Deus, nem de Jesus Cristo, compravam uma carta de indulgência e pronto, a salvação estaria garantida. Era o pensamento da época. Era a onda religiosa do momento.
Martim Lutero argumentou contra isso. Ensinou que a Igreja devia pregar a salvação pela graça e fé, mediante a ação de Jesus Cristo, revelado nas Sagradas Escrituras. Com certeza, nem ele tinha consciência das proporções que tomaria este movimento. Novas rupturas e até novas guerras se justificaram a partir de então. Mas também uma autêntica e verdadeira vivência do Evangelho volta a se fazer presente, entre católicos e protestantes, motivada pela atitude de Lutero.
Fontes:
Lembrem-se, as mudanças acontecem “De dentro pra fora!”
 
Um ótimo início de semana para todos!!!





 













Nenhum comentário: